UmPontoDeSituação . 2020

Galeria Cozinha [exposição coletiva] | FBAUP, Porto

UmPontoDeSituação05.jpg
UmPontoDeSituação03.jpg
UmPontoDeSituação04.jpg
UmPontoDeSituação01.jpg
UmPontoDeSituação07.jpg

Sem título [umbigos]

Estanho
16,5 × 5 cm | altura variável

 

Sem título [mãos]

Estanho
12 × 1 cm | altura variável

No meu universo goethiano detenho um ser solitário envolto pela paixão, intimamente preenchido com tudo o que vai cativando dentro de si. Um Eu com uma individualidade marcada que, no seu isolamento, se espelha nas suas ações, à semelhança de Narciso. No entanto, sem ter como fundamento a primazia do Eu em absoluto, é um ser apaixonado que não consegue comunicar e que, como proteção, cria um véu de vazio que o envolve. Este

vazio-refúgio comunga em simultâneo com uma presença corporal (exterior) e metafisica (interior). É uma presença silenciosa, sem manifestações estrepitosas e sem brilho. Ainda, segundo a minha interpretação, este vazio que circunscreve o Eu, quase como uma presença constante, é assim um espaço possível de se materializar entre

dois polos: o positivo e o negativo. Entendo-o como sendo primitivo, puro e incorpóreo, mas pronto a ser aprisionado e a metamorfosear-se em objetos. Perde a sua propriedade estéril ao habitar o outro lado: um não-mundo de espaços negativos.


isabel dores, 2020

Photo credits: Francisca Dores

© isabel dores, 2020