oração portátil . 2020

papel mixed media 300 g

10,5 x 15 cm [32 postais]

O corpo transforma-se em função das condições do espaço que o envolve. O vazio do espaço das letras aberto em stencil, pretende convidar ao exercício de desenhar sinais nos corpos de quem as recebe. Embora sem uma permanência, estes sinais permitem uma confrontação e uma dialética in loco, que se pressupõe diferente das rotinas diárias. Dentro desta dimensão, o negativo do vazio das palavras torna o corpo positivo, através de uma transferência de uso do ato de desenhar. A utilização do corpo como suporte gráfico de uma frase que intenta a um desejo, traduz-se num ritual de catarse e de transcendência. A instrução da ação instiga a ajudar e a reforçar o sentir da união entre o corpo e a alma.

No atual contexto de uma contemporaneidade sociológica moderna, as imagens proliferam e sobrepõem-se, de uma maneira um quanto gritante, umas às outras. Os indivíduos, cada vez mais procuram sensações imediatas e experiências mais mediáticas. Em oposição, entende-se como resultado do projeto, os postais devolvidos com as marcas do processo e não as fotografias que ilustram o processo em si.

Photo credit: Isabel Dores e Francisca Dores

© isabel dores, 2020